A palavra sânscrita moola significa “raiz ou fundação” e é isto que precisamente este Chakra é. Mooladhara está na raiz do sistema de chakras e suas influências estão na raiz de toda a nossa existência. Os impulsos de vida sobem através do corpo como a flor mais ampla se expande de nossa consciência na região conhecida como sahasrara. Parece um grande paradoxo que esta terreno e mais básico dos chakras nos guia para a mais alta consciência.

Na filosofia Samkhya, o conceito de mooladhara é entendido como moola prakriti, a base transcendental da natureza física. O universo inteiro e todos os seus objetos devem ter algum fundamento pelo o qual evoluem e pelo qual eles retornam após sua dissolução. A fonte original de toda evolução é moola prakriti. Mooladhara, como base de moola prakriti, é responsável por tudo que se manifesta no mundo do nome e da forma.

No tantra, mooladhara é a sede de Kundalini Shakti, a base a partir da qual a possibilidade de maior realização surge. É dito que este grande potencial está adormecendo na forma de uma serpente enrolada. Quando desperta, ela faz o seu caminho ascendente através de sushumna Nadi, na medula espinhal, até chegar a sahasrara onde a derradeira experiência de iluminação ocorre. Portanto, o despertar de mooladhara é considerado de grande importância em Kundalini Yoga.

A localização do ponto

A sede da mooladhara no corpo masculino está superficialmente localizado no interior do períneo, no caminho entre o escroto e o ânus. É o aspecto interior do complexo de nervos que transporta todos os tipos de sensações e está imediatamente conectado com os testículos. No corpo feminino, mooladhara chakra situa-se na face posterior do colo do útero.

Em ambos os órgãos sexuais masculino e feminino, existe uma glândula vestigial em mooladhara chakra o que é algo como um nó. Em sânscrito é conhecido como Brahma granthi; o nó de Brahma. Enquanto este nó permanece intacto, a energia localizada nesta área permanece bloqueada. Mas no momento em que o nó é aberto, Shakti desperta. É apenas quando o indivíduo desperta para a possibilidade da consciência divina, para um maior vigor e propósito do que a vida animal instintiva, que o Brahma granthi começa a afrouxar. A consciência começa a ser liberada a partir do centro da raiz do indivíduo como anseio para o despertar.

Muitas pessoas se sentem hesitantes e se assustam ao crer que Kundalini está no mooladhara chakra e afirmam que ela está no manipura, porque não querem associar a santa Kundalini Shakti com o ímpeto da energia sexual. No entanto, a investigação científica mostra que esta pequena glândula em mooladhara chakra contém energia infinita e muitas experiências psíquica e espiritual provêm de mooladhara. Só porque está mooladhara situado na região sexual, isto não o torna um centro impuro.

Simbologia Tradicional

Mooladhara chakra é tradicionalmente representado por uma flor lótus com quatro pétalas carmesim escuro. Em cada pétala tem uma letra: vam, sham, sham, sam escritas em ouro.

No pericarpo tem um quadrado amarelo, símbolo do elemento terra, cercado por oito lanças douradas – quatro em cada canto e quatro em cada ponto cardeal. Diz-se que representam as sete montanhas Kula no fundamento basico da terra.

O quadrado amarelo dourado, Yantra do elemento terra, é suportado por um elefante com sete trombas. O elefante é o maior de todos os animais terrestres e possui grande força e solidez. Estes são os atributos de mooladhara – um grande poder inativo, descansando em um lugar completamente estável e sólido. As sete trombas do elefante denotam os sete minerais que são vitais para a função física; em sânscrito são conhecidos como sapta dhatu. As sete trombas do elefante é o veículo da grande mente, a grande criatividade.

Sobre as costas do elefante, no centro do quadrado, tem um triângulo vermelho escuro invertido. Este é o símbolo da Shakti ou energia criativa, que é responsável pela produtividade e pela multiplicidade de todas as coisas. Dentro do triângulo está o swayambhu ou dhumra Linga, na cor cinza esfumaçado. Próximo deste Linga, que representa o corpo astral, Kundalini está enrolada três vezes e meia, sendo o seu brilho como o de relâmpagos. Três representa as três gunas ou qualidades da natureza em um indivíduo. Enquanto as três gunas estão ativas, a individualidade está funcionando dentro do confinamento do ego. A meia volta representa transcendência.

No tantra esta serpente enrolada é conhecida como Mahakala, tempo grande ou interminável. Aqui Kundalini repousa no ventre do inconsciente, além do tempo e do espaço. Quando Kundalini começa a se manifestar, penetra nas dimensões da personalidade e da individualidade, e fica-se sujeito ao tempo e ao espaço. Este é o despertar da grande potência da serpente dentro de cada forma individual, moldura e consciência do ser humano. No entanto, na maioria das pessoas ela está adormecida. No seu estado desperto Kundalini Shakti representa a nossa potencia espiritual, mas em seu estado latente representa nível de vida instintivo que apoia a base nossa existência. Ambas as possibilidades residem no mooladhara.

Descansando no topo do triângulo invertido está o bija mantra lam. Dentro do bindu, sobre o mantra, reside o elefante Deva Ganesha e Devi Dakini, que tem quatro braços e olhos brilhantes e vermelhos. Ela é resplandecente como o brilho de muitos sóis nascendo ao mesmo tempo. Ela é a portadora eterna da inteligência pura.

O tanmatra ou sentido associado com mooladhara é o cheiro, e é aqui que os cheiros psíquicos são manifestados. O gyanendriya ou órgão sensorial é o nariz, e os karmendriya, órgão da atividade, é o ânus. O despertar de Mooladhara é muitas vezes acompanhado por sensações de coceira ao redor do cóccix ou ânus, e o olfato torna-se tão agudo que os odores repugnantes são difíceis de suportar.

Mooladhara é o interruptor direto para despertar ajña chakra. Pertence ao bhu loka, o primeiro plano da existência mortal e é o principal centro de apana. Mooladhara é também o sede do annamaya Kosha, o órgão de alimentação, relacionado com a absorção dos alimentos e a evacuação de fezes.

Ao meditar sobre Kundalini em mooladhara chakra, a pessoa se torna senhor do discurso, um rei entre os homens e um perito em todos os tipos de aprendizagem. Ele se torna livre de todas as doenças e ele permanece alegre em todos os momentos.

Equilíbrio entre os nadis

Mooladhara é a base a partir dos qual os três principais canais psíquicos ou nadis emergem e fluem até a medula espinhal. Diz-se que ida, a força mental, emerge a partir da esquerda do mooladhara; pingala, a força vital, a partir da direita, e sushumna, a força espiritual, a partir do centro. De acordo com o tantra, este ponto de emanação é muito volátil. Quando as forças positiva e negativa de ida e pingala estão totalmente equilibradas, um despertar aqui estará suscitando o despertar de Kundalini adormecida. Normalmente, este estado de equilíbrio entre As Nadis ida e pingala só pode ser atingido esporadicamente e por curtos períodos de tempo. Isto pode ser suficiente para desencadear um despertar, mas apenas levemente, no qual Kundalini sobe até swadhisthana ou manipura, e então retorna para baixo, para mooladhara novamente.

Portanto, as práticas de Hatha Yoga, particurlamente as de Pranayama, são muito importante em Kundalini Yoga, porque purificam e reequilibram os fluxos psíquicos. Uma vez que o estado de equilíbrio entre ida e pingala se torne estável e permanente, o despertar engendrado no mooladhara torna-se explosivo, Kundalini sobe com grande vigor, superando todos os obstáculos no seu caminho até que chega ao seu destino final no sahasrara.

Pranotthana versus Kundalini

Muitas pessoas têm experiências durante a meditação, quando sentem a subida de Shakti através da medula espinhal de mooladhara para o cérebro. No entanto, na maioria dos casos, este não é o despertar de Kundalini, mas uma libertação do vigor pranico chamado pranotthana. Esta preliminar começa a despertar mooladhara e sobe pela medula espinhal através da Nadi pingala, apenas purificando parcialmente os chakras até atingir o cérebro em que geralmente se dispersa.

Neste tipo de despertar a experiência de Shakti é raramente sustentada. No entanto, isto não prepara o aspirante para o eventual despertar de Kundalini, que é algo completamente diferente e mais poderoso. Após o despertar de Kundalini, o indivíduo nunca mais será o mesmo outra vez. Aqui há uma subida da força acompanhado de um despertar psíquico, que é permanentemente acessível. Mesmo que ele possa cair novamente, o potencial estará sempre lá.