Os chakras em perspectiva

Os yogues nos dizem que os chakra se encontram ao longo da medula espinhal, que mooladhara se encontra no períneo e os outros chakras ascendem em direção a sahasrara, que é o ápice da evolução do homem e da consciência. Ajna chakra é o mais elevado centro em que o homem sente que ele existe separado do universo. A união, ou consciência cósmica, ocorre em sahasrara. Ajna é o chakra controlador, o guru centro onde os comandos são ouvidos.

A neurofisiologia aponta que existem centros no cérebro que se estende para cima, a partir do bulbo para a área tálamo/pineal, área que corresponde à clássica descrição dos chakras como dito pelos yogues. Podemos dizer que, dentro do cérebro, todos estes produtos estão sob controle de ajna, que são as camadas de evolução dentro de ajna, e conforme cada chakra desperta na espinha, isso afeta o nível de consciência desperta e ativa em ajna. A área tálamo/pineal representaria aquela parte do cérebro que é mais desperta e completamente ativada pelo despertar total de ajna chakra, enquanto a área do bulbo é aquela parte que corresponde à área de mooladhara chakra. Isto deveria explicar a estreita ligação entre mooladhara e ajna; que o despertar de um conseqüentemente desperta o outro.

Em muitas pessoas, ajna chakra, a área tálamo/pineal está adormecida. Viver em mooladhara e swadhisthana significaria, para a maioria, que ajna chakra funciona principalmente no bulbo, o cérebro reptiliano. Somente quando estimulamos e despertamos os centros pelo yoga, iremos pular os níveis em nosso sistema nervoso e despertar a consciência superior, a área tálamo/pineal e os seus níveis concomitantes de consciência. Quando ida e pingala se fundem em ajna, a energia flui de muladhara até ajna, do bulbo até a área tálamo/pineal.

Existem muitas técnicas pelas quais podemos trabalhar em ajna chakra, tais como shambhavi mudra, trataka, japa mantra, nadi shodhana e bhramari pranayama, só para citar alguns. Quando dizemos que estas técnicas estão estimulando ajna chakra, estamos realmente afirmando que, de alguma forma, estamos estimulando a integração e a localização central da área tálamo/pineal e, assim, despertando nossas funções normalmente adormecidas, elevado intelecto/emoção, lógico-intuitiva. Eles estimulam os elementos superiores de ajna e elevam a nossa consciência para além do estado inferior, o bulbo reptiliniano. As técnicas para equilíbrio do funcionamento de nosso complexo e total cérebro/mente, ida e pinala, focam e estimulam a área central, e preparam o terreno para o despertar de Kundalini.